Traduzir a matéria: Luiza Neto Jorge e a tradução do corpo (e) da palavra

  • Gabriela Familiar de Abreu Carneiro
Palavras-chave: Poesia portuguesa, Poesia 61, Surrealismo, Tradução literária, Paul Éluard

Resumo

A poesia de Luiza Neto Jorge procura romper com a discursividade poética, fazendo-o através de suas imagens, significações, interrupções sintáticas e semânticas, enjambements e aliterações. Essa escrita substancial, bem como a sintaxe fraturada, dá a conhecer “um uso da língua que o leitor, ainda que aderindo, resiste a reconhecer” (Duarte 2006: 72). A tradução de Luiza Neto Jorge, por sua vez, pode ser vista como uma extensão da sua obra poética e, por isso, torna-se possível encontrarmos traços da poeta nas suas traduções. Com base nesta afirmação o presente trabalho procura observar em Poesia Traduzida (2011) como a poesia de Luiza se encontra em suas traduções, bem como refletir sobre o seu trabalho como tradutora de poesia.

Como Citar
Carneiro, G. (2017). Traduzir a matéria: Luiza Neto Jorge e a tradução do corpo (e) da palavra. ELyra: Revista Da Rede Internacional Lyracompoetics, (9). Obtido de http://elyra.org/index.php/elyra/article/view/178
Secção
Ensaio