Finitude e prospecção – gestos escriturais

  • Tiago Cfer
Palavras-chave: poesia, performance, filosofia, tecnologia

Resumo

Reflexão sobre o espaço poético propiciado pela performance de agora. A partir da produção ensaística e poética de Mauricio Salles Vasconcelos, e com foco sobre dois trabalhos desdobrados de seu livro Ar livre, “Livro/Telefone/Rua” – uma ópera estenofônica – e “Ato/Ambulante”, investiga-se o campo relacional que as dinâmicas do livro e dos eventos-performance vêm implementando entre literatura, filosofia, música, tecnologia, urbanismo, ecologia.
Como Citar
Cfer, T. (2018). Finitude e prospecção – gestos escriturais. ELyra: Revista Da Rede Internacional Lyracompoetics, (10). Obtido de http://elyra.org/index.php/elyra/article/view/212
Secção
Artigos