Reescritas e palinódia na poética de Joaquim Manuel Magalhães

Resumo

O processo por que passa a obra do poeta português Joaquim Manuel Magalhães envolve a gradativa radicalização da reescrita até a assunção da palinódia. A recusa do conjunto de sua obra ocorre em 2010, quando Magalhães publica Um Toldo Vermelho. Objetiva-se compreender, na obra de Magalhães, o percurso de recusa e instauração da palinódia, assim como sua reescrita pautada em revisões de termos, alcance de imagens e sonoridade mais poéticas, eliminação de parte considerável do poema e consequente mudança de sentido. A descrição e análise do modo de enunciação da palinódia e da enumeração, adotadas pelos eus poéticos de Um Toldo Vermelho, produzirão algumas hipóteses interpretativas das transformações estéticas da poesia de Magalhães.

Como Citar
Borsato, F. (2018). Reescritas e palinódia na poética de Joaquim Manuel Magalhães. ELyra: Revista Da Rede Internacional Lyracompoetics, (12), 133-162. Obtido de http://elyra.org/index.php/elyra/article/view/268
Secção
Artigos