As linguagens do trauma: cinematografias do poético

Resumo

O trauma é indizível. A partir dessa afirmação de Seligmann-Silva (2008), o presente trabalho pretende compreender de que maneira novas linguagens são forjadas na tentativa de representar espaços e tempos de violência. Dessa forma, o livro Homoíne, do escritor moçambicano Eduardo White, e o filme A Respeito da Violência, de Göran Hugo Olsson, serão relacionados por serem duas tentativas de representar situações de horror. Além da diversidade discursiva, os diferentes contextos também serão evidenciados, como forma de se converterem as imagens criadas e projetadas – na tela, na imaginação – em espaços de debates acerca da violência.

Como Citar
Machado, C. (2019). As linguagens do trauma: cinematografias do poético. ELyra: Revista Da Rede Internacional Lyracompoetics, (13), 257-270. Obtido de https://elyra.org/index.php/elyra/article/view/290