O "hipócrita leitor" de Baudelaire e a poesia brasileira contemporânea

Resumo

Este ensaio tem por objetivo percorrer a recorrência de um único verso de Baudelaire, “Hypocrite lecteur, mon semblable, mon frère”, do poema de abertura de Les Fleurs du Mal, em três poemas de poetas brasileiros: “Fogo do final” de Ana Cristina Cesar, “Dez sonetóides mancos” de Paulo Henriques Britto e “Modo de usar” de Marcos Siscar. Trata-se da retomada de Baudelaire na perspectiva intertextual de um escrever-através, como assinala Marjorie Perloff em Unoriginal genious, que permite não só considerar a participação do poeta num discurso maior e mais público, mas pensar o estatuto dessa relação poeta/leitor. Nos três poemas parece explicitar-se certo lugar de leitura/citaçã o de outra obra que esbarra, justamente, no verso em que se questiona o lugar moral do leitor.

Como Citar
Simpson, P. (2020). O "hipócrita leitor" de Baudelaire e a poesia brasileira contemporânea. ELyra: Revista Da Rede Internacional Lyracompoetics, (15), 117-134. Obtido de https://elyra.org/index.php/elyra/article/view/329