“devenir femme”: da performatividade ao fingimento da fotografia

Resumo

Neste ensaio, procuro analisar como as figuras das travestis/drags/bichas, personagens marginais e recorrentes na obra de Al Berto, sobretudo nos primeiros livros, para além de uma simples crítica do choque baudelaireano, ensinam, com a sua performatização de gênero, uma performatização da escrita; e lançam luz, como “cena fulgor” (Llansol 1998: 130), sobre a imagem da capa do livro O medo.

Como Citar
Velloso, L. (2019). “devenir femme”: da performatividade ao fingimento da fotografia. ELyra: Revista Da Rede Internacional Lyracompoetics, (13), 137-154. Obtido de https://elyra.org/index.php/elyra/article/view/284